sábado, 29 de maio de 2010

Mont Marsan 1977, festival Punk




Falar de Mont Marsan é falar do primeiro festival Punk Europeu, houve duas edições uma em 1976 e outra 1977. Em plena euforia Punk, o cartaz da segunda edição 1977, estava repleto de bandas punk, algumas já davam que falar, The Clash, The Damned(reincidentes no festival, participaram nas duas únicas edições de Mont Marsan), outras tentavam subir uns degraus dentro da hierarquia punkiana, caso dos The Maniacs e os The Rings.

A juntar à festa Punk, estiveram também grupos de Pub-rock, Dr Feelgood, Little Bob Story, Hot Rods e a banda Punk francesa Asphalt Jungle. O festival conseguiu reunir cerca de 4000 pessoas numa praça de touros, o festival conseguiu atrair a atenção dos média franceses, tendo havido reportagens para televisão.
Ficam alguns videos relacionados com o festival Mont Marsan, existe também a gravação na integra do concerto dos The Clash. Num dos videos (o video de cima) pode se ver as únicas imagens dos The Maniacs ao vivo, numa altura que a banda tinha deixado de ser um power-trio.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Not Sensibles, I thought you were dead


Estava aqui a pensar numa introdução para os Not Sensibles mas vou deixar de lado os formalismos (localidade, eram 5 jovens, não gostavam de sopas instaneas mas sim dos The Adverts ....) e passar à análise do ep de 1980.
Os Not Sensibles ficaram conhecidos pelo sarcasmo das suas letras, os títulos de algumas das músicas dos Not Sensibles são disso exemplo, "Daddy won't let me love you song", "Sick of being Normal", "Don't wanna work anymore".

E o EP de 1980 não foge a essa regra, "I thought you were dead" é uma das obras-primas do punk-powerpop inglês, simplesmente viciante ouvir esta música, já perdi a conta das vezes que ouvi esta música e não me canso de ouvir.

No lado B do EP , há mais música de qualidade, se "I make a balls of everything I do" é uma malha de powerpop para cantar aos mais pequenos, uma boa música para substituir as tradicionais musicas infanto-depressivas (giroflé giroflá ), e a rematar o Punk-rock inflamado de "Teenage Revolution", banda sonora ideal para uma revolução, mesmo que seja uma revolução que dure uns minutos ou um minuto e 35 segundos(o tempo que dura a música).

Lado 1:

- I thought you were dead :




Lado 2-
- I make a balls of everything I do :





- Teenage Revolution :


segunda-feira, 24 de maio de 2010

domingo, 23 de maio de 2010

Anteontem houve Punk-Rock em Coimbra, Johnny Throttle

O concerto de sexta-feira passada dos Johnny Throttle em Coimbra, foi provavelmente o melhor concerto de Punk-rock de 2010 em Portugal(sei que faltam mais 6 meses para acabar o ano).

Um concerto onde imperou o verdadeiro e genuíno Punk rock 77, os JT abrem o concerto com o tema título do seu último single,"Sick of Myself", depois foi um suceder de malhas, destaco as malhas "Spazztastic" (esta música lembra-me os The Clash "1977"), Atomic Reaction e Looking at You. O concerto foi electrizante de principio ao fim, com muito pogo na linha da frente, para o final os Johnny Throttle guardaram a cover dos The Kids, "Job in the City".

Antes e depois do concerto houve som ambiente, os Dj's de serviço foram Pedro Chau e Afonso (JT), foi altura de ouvir velhos clássicos do Punk, powerpop, aqui vão alguns dos nomes de bandas que fizeram parte dos dj-sets, Pointed Sticks, Modernettes, Fast Cars, Incredible Kidda Band, Eddie Hot Rods, Speedies e muito mais.....


Mas mesmo antes de começar o concerto já havia punk rock no "ar", foi um final de tarde ao som de Punk-rock em plenas ruas de Coimbra, som esse que era debitado por um rádio/CD a pilhas (ehhehe old school), e mesmo depois do concerto foi andar por Coimbra ao som dos P.I.L (motivo de conversa com uns utentes de uma discoteca), Damned, Users, .....

Para finalizar quero deixar um abraço ao pessoal de Castelo Branco, pessoal que gosta e sabe o que é Punk-rock a sério.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Johnny Throttle , Punk rock 77 , esta 6ª Feira em Coimbra e no Sábado no Porto, 21/22 Maio




É já amanhã, 6ª feira (dia 21) a estreia dos Johnny Throttle em Portugal, o primeiro concerto é em Coimbra na disco Via Latina. No sábado (dia 22) é a vez do Porto receber os JT, no Plano B.



http://www.myspace.com/johnnythrottle000

terça-feira, 18 de maio de 2010

Kidz Next Door, "Quem sai aos seus, não degenera"


Se 1977 foi o ano da consagração do Punk, 1979 foi um ano que muitos deram o Punk como morto, muitas bandas de 1977 já tinham sido enterradas, outras como os Clash mudaram de direcção musical, com o excepcional "London Calling", os Pistols mesmo em consumpção, continuavam a servir de "barrete" (ou melhor de banquete) ao mercado discográfico.

No meio disto tudo aparece um grupo, Kidz Next Door, registam em 1979 duas músicas, "What's it all about" e "Kidz next door". O grupo tinha como vocalista, Robbie Pursey, irmão mais novo de Jimmy Pursey (Sham 69), este facto foi determinante para o contrato assinado com a major Warner Bros (editora que tinha nas suas fileiras os Angelic Upstarts).

Jimmy Pursey ficou encarregue de produzir o single, duas músicas, o tema que dá título ao single é uma malha de powerpop cujo a genes é o espirito da rua, exemplo puro de street-powerpop(não sei se existe este termo, mas se não existir fico eu com a patente ehehehe).

No lado oposto da rodela de 45 rotações, está uma malha punk envernizada pelo Oi!, o resultado final é sem dúvida um hino assombroso de puro contagio sing-a-long, uma malha que qualquer banda de Oi! não se importaria de ter gravado.

Conclusões finais, os Kidz next Door tinham potencial para continuar e fazer história no meio Punk/Oi!, fica a saber a pouco este single, single que aguça o apetite para mais manjares Punk-rockianos.

Agora é a parte mais chata, números, cifrões, pois com um single com estes predicados, o óbvio é a procura ser maior do que a oferta, logo a tendência é o preço do disco ser elevado, o que se confirma no caso do single dos KnD.

Se o single com capa (foi editado em menor número) atinge valores entre as 50-70 libras, o single sem capa anda pelas 20 libras, mas posso dizer que fui um afortunado ao conseguir esta relíquia por 4 euros(já com os portes incluídos).

Curiosidade, no seu pouco tempo de vida, os Kidz next Door participaram numa tour com os Cockney Rejects, será inútil dizer que os concertos resvalaram para a violência.


Kidz Next Door- Kidz Next Door

quinta-feira, 13 de maio de 2010

The Hammersmith Gorillas, coleccção Punk-rock em Portugal


A cardeneta de "cromos", ou melhor, dos singles punk raros editados em Portugal, não ficaria completa sem o single dos The Hammersmith Gorillas - "You really got me", versão da celebre música dos Kinks. Originalmente editado em 1974, o single foi alvo de um reedição em 1977, aquando da explosão do Punk, ficando a reedição a cargo de uma das mais importantes editoras Punk, a Raw Records (fica prometido um texto sobre esta editora para breve).

A versão que os H. Gorillas gravaram dos Kinks, é um bom exemplo do Punk antes de ser Punk, ou seja uma malha de proto-punk com pedigree, no lado inverso está uma malha mais voltada para o pub-rock a lembrar os seus contemporâneos The Jook.


O single foi editado em Portugal, pela Belter em 1977, a capa do single tinha o rotulo "Punk-rock" bem escarrapachado para que não houvesse dúvidas. E foi assim timidamente que as editoras em Portugal foram editando discos Punk.
Curiosidade o single foi editado em Portugal e em Espanha pela Belter com a mesma capa.



quinta-feira, 6 de maio de 2010

Ku de Judas , 1986 Musica & Som




Mais um achado arqueológico bastante raro, um artigo sobre os Ku de Judas de 1986.

terça-feira, 4 de maio de 2010

The Wasps


East end (Londres) não foi só o berço de bandas de Oi! (Cockney Rejects, 4 skins), alguns anos antes, East End viu nascer uma banda Punk-rock, os The Wasps.
1976 foi o ano zero dos The Wasps, 1977 foi o ano da estreia da banda na lides discográficas, com o sete polegadas "Teenage Treats", um dos singles de nomeada do punk-rock, passados duas décadas o título do single deu nome a uma série de colectâneas punk powerpop, os já celebres "Teenage Treats".

O ano de 1977 foi prolífico para os The Wasps, além do single homónimo, o grupo edita um split-single com outra banda, Mean Street, para no final do ano de 1977 juntarem-se a mais bandas punk-rock no disco "Live at Vortex".
O single de estreia, "Teenage Treats" seria reeditado em 1978 pela Illegal Records(a editora cujo o dono era Miles Copeland irmão de Stewart Copeland, baterista dos Police).

Já com mudanças no line-up os The Wasps editam mais um single, "Rubber Cars", em 1979.
Uma das músicas dos The Wasps, "Run Run Angelica" foi alvo de uma regravação (num estilo mais powerpop) por parte dos The Favourites, os quais abreviaram título da música para "Angelica", single dos Favourites por coincidência foi lançado pela primeira editora dos The Wasps a 4 Play.

A Overground records uma editora que tem tido o trabalho notável em editar bandas Punk raras, o catalogo da OR fala por si, Art Attacks, Victim, Pseudo Existors, The Jerks..., editou um CD dos The Wasps "Punkryonics".

The Wasps - She's Alarming



http://punknotprofit.blogspot.com/2007/04/wasps-punkryonics.html - Download


"Run Run Angelica"


domingo, 2 de maio de 2010

Terminal , alvo de crítica




Algo que nunca esperava era que um single dos Terminal fosse alvo da crítica por parte de uma revista musical portuguesa. Crítica assinada por Miguel Esteves Cardoso, em que analisa um catrefada de singles da cena post punk Inglesa, do acervo de singles que foi examinado por MEC na revista M&S, encontrava-se também o single "Ambition" dos TV21, banda escocesa anteriormente aqui falada.

Não se pode dizer muito sobre os Terminal, já que as informações sobre esta banda são muito escassas, editaram dois singles, um em 1980 "Hold On" e outro em 1982 "Am I doing it right?".

Os dois singles jogam no campeonato do Powerpop, II divisão B, se o primeiro merece estar na primeira divisão a lutar pela manutenção, powerpop com garra, claro como a àgua e directo. Em relação ao segundo single o de 1982, merece ficar pela segunda divisão B, um genero de Atlético ou de um 0riental, por outras palavras é um single simpático que vai ficar sempre pelas divisões secundárias.

sábado, 1 de maio de 2010

Dickies - Nights in White Satin 1979, o single Português


"Nights in white Satin" o único registo dos Dickies editado em Portugal, em formato de 45 rotações, se no lado A, encontramos a cover do clássico dos Moody Blues "Nights in white satin", aliás os Dickies ficaram conhecidos mais pelas covers que gravaram do que pelos originais compostos pelos próprios. Entre outras covers gravadas pelos Dickies, há "Paranoid" (original dos Black Sabbath)e a música "Eve of Destruction" (de PF Sloan), só para dar dois exemplos.
Mas o ponto máximo deste single é a música "Infidel Zombie", punk-pop em registo slow com saxofone e tudo, na minha opinião a melhor música dos Dickies.
Para além da música, há outros factores de interesse nesta edição Portuguesa, ponto 1: capa diferente de todas aquelas que foram editadas no resto dos países, ponto 2: lado B é único a nível mundial, já que no lado B original estava a música "Waterslide".
Concluindo este single português é um dos cromos difíceis da colecção de punk-rock editada em Portugal.

Dickies - Nights in White Satin