quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sid Vicious , não é inocente ....imprensa nacional 1978-79



O caso do assassinato de Nancy Spungen teve alguma cobertura por parte da imprensa nacional , não é que o punk fosse sinónimo de vendas/interesse em Portugal , mas sim mais pelo burburinho que a imprensa americana e inglesa fizeram do caso.


Então no jornal "Diário Popular" de 1978 , o caso foi acompanhado dia após dia , com títulos choque onde se jorra sangue (é disso que o povo gosta e quer ler) "Sid Vicious internado por tentar cortar os pulsos" até títulos condenatorios "Sid Vicious condenado pelo assassínio de Nancy". Outra noticia foi publicada na revista "Observador" em 28 de Fevereiro de 1979 , com narração dos factos ligados ao caso , falando da saída de Sid Vicious dos calabouços sob caução , caução essa paga pela editora .... até aí tudo bem , o problema foi o timing da publicação da noticia , já que 3 semanas antes desta ser publicada , já Sid Vicious tinha falecido de overdose , em 2 Fevereiro de 1979. Não sei se mais tarde , talvez em Abril (quem sabe) , a revista tenha informado os seus leitores que o ícone do Punk tinha perecido.

Ultimamente o assunto Sid Vicious tem voltado a baila , com documentários , a tentar provar a inocência de Sid Vicious , muitos pormenores ficaram por esclarecer , quem sabe se isto tudo não foi uma conspiração para acabar com a influência nefasta do punk sobre a juventude americana.
Algumas bandas pegaram no assunto e transportaram esses mesmo assunto para a música , desde músicas dedicadas a Sid Vicious , The Maggots com o malhete "2279" (2-2-1979) , Surgeons "Sid Never did it" (um tesouro do punk Inglês , apenas revelado em colectaneas a circular no meio underground) , Cash pussies "99% is shit" , em 1982 os Exploited poem os pontos nos is com o tributo ao ídolo "Sid was Innocent". Do lado contrário havia os Nazis Against Fascism com a música "Sid did it".






The Maggots - 2279


Letra "2 2 79"

I was watchin the news
the other day
the man came on
what did he say
Sid Vicious punk rock star was dead of O.D.
he was celebrating he'd just been set free
now hes dead one of a kind
on 2 2 79
between life & death
he broke the line
on 2 2 79
called a hero & called a beast
they picked on him & had a feast
suicidal lived fast died at 21
when yer in a jailcell life is just no fun
he was misused
he was amused
he was abused
he was confused
now hes gone
one things for sure
you can't kick sid around
no more
John Simon Ritchie
no longer confined
on 2 2 79
now he's dead
one of a kind
on 2 2 79

3 comentários:

biolisboa disse...

Houve um bom programa (The Last 24 Hours) no Canal Infinito sobre esta história toda e a mãe dele é que lhe administrou a dose fatal! O Canal Infinito era o canal mas esotérico do Mundo mas a TV Cabo tirou-o do ar (medo de quê?). É ver em TV satélite. Alguém sabe qual o Sat? É isto: @.1Sat?
Bye for now
Rui de Castro
da Warm Records

jocksilver7 disse...

rui "macrobiótico" castro? É você? Foi você o responsável pela distribuição da compilação "Business unusual" em 79? Graças a si - assim julgo - descobriu-se o som dos Throbbing Gristle aqui.

biolisboa disse...

Sou o p(irata)róprio! Mas, tirei o rótulo da testa, pois aprendi que tofu não mas miso ou natto sim! Já no outro dia a Paula me disse o mesmo sobre o Business Unsusual (a amiga do Sérgio, do LP Punk-Rock 77, sabe quem é?... do antigo underground de Lisboa à Calçada do Duque). É verdade na altura ninguém sabia quem eram os Throbbing Gristle, he he he. A Nova é que distribuiu a compilação de editoras...zinhas Inglesas porque na época ainda não tinha cá montado a Warm Records e o Sérgio (lá estava ele) trabalhou na Nova, logo deu-se a oportunidade de fazer cá o LP da Cherry Red Records que mais tarde me passou os Dead Kennedys...the rest is history! Warm regards e abraços.
Rui